International Albinism Awareness Day / Dia Internacional da Consciência do Albinismo 2018


Date Publish: 
Wednesday, June 13, 2018

This year is the 70th anniversary of the Universal Declaration of Human Rights, adopted by the UN on 10 December 1948. In light of the fundamental pledge made in 2015 by all member states of the United Nations to leave no one behind, starting with the furthest behind first, it is essential for all stakeholders to support persons with albinism in their quest for the enjoyment of their human rights. (Portuguese version follows)

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Albinism: “The battle continues, but we are gaining ground”

MAPUTO 13 June 2018 – Speaking ahead of International Albinism Awareness Day on Wednesday 13 June, the Independent Expert on the enjoyment of human rights by persons with albinism, Ikponwosa Ero, takes stock of progress under the theme of the Day: “shining our light to the world.”

“Today, we celebrate the remarkable contributions of persons with albinism including Goldalyn Kakuya, a 14-year-old girl with albinism, who topped Kenya’s national primary school exams in December and shattered stereotypes and myths. Indeed, it is still often believed that persons with albinism are unable to learn. This prejudice illustrates the particular discrimination they face regarding access to education, including persistent bullying and the absence of reasonable accommodation for the vision impairment that is often part of albinism.

While we celebrate, we take a moment to reflect on those who have been attacked and lost their lives or were mutilated because they have albinism.  I am heartened by the commitment to putting these atrocities to an end. Indeed the battle continues, but we are gaining ground.

This year is the 70th anniversary of the Universal Declaration of Human Rights, adopted by the UN on 10 December 1948. In light of the fundamental pledge made in 2015 by all member states of the United Nations to leave no one behind, starting with the furthest behind first, it is essential for all stakeholders to support persons with albinism in their quest for the enjoyment of their human rights. There are challenges but these are evidently surmountable.”

Mozambique has been experiencing a wave of violence against persons with albinism, including kidnapping and human trafficking. Nearly 60 criminal cases concerning persons with albinism were initiated by the General Prosecutor’s Office in the period between 2014 and 2015. On 24 November 2015, the 30th Ordinary Session of the Council of Ministers approved the “Multi-Sectoral Action Plan to address the issues of the protection of Persons with Albinism” and established a Multi-Sectoral Working Commission to implement this Action Plan. The Government, Human Rights Associations, NGOs and UN Agencies have been working closely to promote and protect the rights of persons with albinism.

In addition to activities planned by various Civil Society Organizations, the UN agencies in Mozambique have planned the following activities to increase awareness on the issues related to albinism and the urgent need to mobilize the whole society to protect the persons with albinism:

  • Awareness campaign by messaging to youth (through SMS Biz)
  • Debates in TV and radio
  • Social media campaign
  • Photo exhibition in Parliament

For media inquiries related to the International Albinism Awareness Day, please contact:
Ragnhild Wik Solberg (+258-85-0454599 / rw.solberg@unesco.org), or
Arianna Iok I U (+258-21-481719 / ai.u@unesco.org )

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Albinismo: “A batalha continua, mas estamos ganhando terreno”

MAPUTO 13 de Junho de 2018 – Na corrida a celebração do Dia Internacional de Conscientização do Albinismo na quarta-feira 13 de junho, o Especialista Independente sobre o gozo dos direitos humanos pelas pessoas com albinismo, Ikponwosa Ero, comentou sobre o progresso já feito para alcançar igualdade em relação ao tema do Dia: “shining our light to the world.”

“Hoje, celebramos as notáveis ​​contribuições de pessoas com albinismo, incluindo Goldalyn Kakuya, uma menina de 14 anos com albinismo, que se destacou nos exames nacionais do ensino básico do Quênia em Dezembro e quebrou estereótipos e mitos. Pois ainda se acredita que pessoas com albinismo são incapazes de aprender. Esse preconceito ilustra a discriminação particular que eles enfrentam em relação ao acesso à educação, incluindo o assédio persistente e a ausência de acomodação que razoavelmente aborda as deficiências visuais que muitas vezes fazem parte do albinismo.

Enquanto celebramos, dedicamos um momento para refletir sobre aqueles que foram atacados e perderam suas vidas ou foram mutilados porque têm albinismo. Sinto-me encorajado pelo compromisso feito de acabar com essas atrocidades. A batalha continua, mas estamos ganhando terreno.

Este ano é o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada pela ONU em 10 de Dezembro de 1948. Tomando em conta o compromisso fundamental assumido em 2015 por todos os Estados membros das Nações Unidas para não deixar ninguém para trás, começando com os mais desfavorecidos antes de tudo mais, é essencial que todas as partes interessadas apoiem as pessoas com albinismo em sua busca dos seus direitos humanos. Há desafios, mas estes são evidentemente superáveis ​​”.

Uma onda de violência contra pessoas com albinismo tem acontecido em Moçambique, incluindo sequestros e tráfico de seres humanos. Quase 60 processos criminais relativos a pessoas com albinismo foram iniciados pelo Gabinete do Procurador Geral no período entre 2014 e 2015. a 30ª Sessão Ordinária do Conselho de Ministros, realizada em 24 de novembro de 2015, aprovou o “Plano de Ação Multissetorial para tratar das questões de albinismo” e estabeleceu uma Comissão de Trabalho Multi-Setorial para implementar este Plano de Ação. O Governo de Moçambique, Associações de Direitos Humanos, ONGs e agências da ONU têm trabalhado em colaboração para promover e proteger os direitos das pessoas com albinismo.

Além das atividades planejadas pelas diversas Organizações da Sociedade Civil, as agências da ONU em Moçambique planejaram as seguintes atividades para aumentar a conscientização sobre as questões relacionadas ao albinismo e a necessidade urgente de mobilizar toda a sociedade para proteger as pessoas com albinismo:

  • Campanha de conscientização de jovens por mensagens (através do SMS Biz)
  • Debates na TV e no rádio
  • Campanha de mídia social
  • Exposição fotográfica no Parlamento

Para perguntas da mídia relacionadas ao Dia Internacional da Consciência do Albinismo, entre em contato com:
Ragnhild Wik Solberg (+ 258-85-0454599 / rw.solberg@unesco.org), ou
Arianna Iok IU (+ 258-21-481719 / ai.u@unesco.org)